sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Um amigo, uma viagem e um coração.

Talvez me falte a inspiração, ou pelo cansaço ou pela musica, q sai das caixas d som do meu computador, no ultimo volume...
Tenho por esse texto um grande desabafo. Há algum tempo já q eu observo o q vou dizer, e nao sei se vai ficar claro à vcs o q tenho a dizer. Porem, vamos à filosofia:
Hoje, um amigo grande amigo meu, Daniel, foi viajar pros EUA. Antes de ir pra SP pegar o voo ele passou aqui em casa para se despedir.
O q me intrigou foi qndo fechei a porta do meu apartamento e dei-me conta d q nos proximos 10 meses eu vou ficar longe d um irmao. Um cara q me ensinava, trocavamos ideias, davamos mta risadas, falavamos besteiras, filosofavamos e, de quebra, tocavamos musicas. Voltamos à porta: quando a fechei percebi a solidão q eu me encontrava.
Não pense vc, caro leitor, q quero idolizá-lo ou fazer d mim um coitado, o q quero dizer é q eu, sem querer, entreguei-me a uma amizade, ou melhor, a uma irmandade onde Daniel era meu 'ponto d equilibrio'. Não errei. Mas exagerei. Ele foi embora, e agora o q eu faço sozinho?
Trocando em miudos: Eu me centralizei em uma pessoa (estou dizendo com um pouco d exagero) e ela foi embora. Fiquei sozinho.
Como disse em algumas linhas acima, faz um bom tmepo q venho observado isso. Entao, esse meu exagero nao se deu apenas e somente por ele. Exagerei, em centralizar a situação em cima de uma pessoa, em outras oportunidades tambem.
Por exemplo: estamos num churrasco. o grande motivo pelo qual vc faz as quais é, somente, pra chamar atenção e alegrar tal pessoa. Ela vai embora e vc fica como?
Espero q vc estejam entendendo.
Por isso, amem as pessoas, mas acima de tudo ame a si mesmo. ''Se o que você esta fazendo for engraçado, não há necessidade de ser engraçado para fazê-lo.''

Daniel, voe!

Um comentário:

Sonia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.